Roseira, 25 de abril de 2016

Caríssimos irmãos de consagração oblaciana!

                                                                                              Louvado seja Cristo Ressuscitado!

O tempo passa, às vezes, como que acelerado. Com ele, as nossas vidas e as nossas histórias vão passando, mas deixando suas marcas, a identidade social que fica registrada. Para nós religiosos Deus nos acompanha nessa peregrinação e nos fala através da história, de modo que não nos sentimos órfãos. De certa forma ficamos órfãos a 25 anos de nosso Pai Fundador, Padre Baleeiro. Digo órfãos pela ausência física, porém amparados pelo arcabouço espiritual que ele legou à sua Família Religiosa. A vida de uma Congregação Religiosa pulsa através da vivência que seus membros fazem através de seus valores instituídos, o que podemos chamar de “carisma vivo”.
A nossa Congregação, bem como a maioria das congregações, vem passando por uma crise. A crise da pós-modernidade tem assolado as vinculações humanas, tanto a instituição religiosa como a familiar e a política. Estamos com carência de membros, alguns envelhecendo, outros enfermos, não são muitas as entradas de candidatos e é muito comum desistências; com isso algumas comunidades sentem a necessidade de mais membros para tocar as obras. A leitura que os superiores de congregações vêm fazendo à luz do evangelho é que nos dias de hoje, de fato, “... são poucos os escolhidos” para a perseverança final (cf Mt 22, 14). Diante disso, temos que primar pela qualidade vocacional, ou seja, pela qualidade de nossas relações interpessoais, tanto na vida fraterna comunitária como na pastoral. É a partir da transparência dos ideais religiosos que seremos atrativos despertadores de vocação nos jovens. Em meio às seduções materiais os jovens só conseguirão se sentir seduzidos pela Vida Consagrada se a vida dos consagrados exercer certo fascínio (cf Jr 20, 7ss). Não deixemos, pois, de pedir ao Senhor da Messe que nos envie operários perseverantes (Lc 10, 1ss).
No dia 16 de maio celebraremos os 25 anos da entrada de nosso Fundador, Padre Januário Baleeiro, no festim das núpcias do Cordeiro, Morto e Ressuscitado. Que ao contemplar a Face de Cristo Sumo e Eterno Sacerdote ele seja o intercessor eterno dessa Congregação que ele gerou.  No dia 15 de maio celebraremos a missa pelo nosso Fundador junto ao povo de roseira, e no dia 16 celebraremos aqui em nossa casa geral. Para os Oblatos que moram longe e não podem vir para a casa geral, não deixem de celebrar também junto a seus paroquianos que tanto nos ajudam na missão oblaciana e na vocação.
Aproveito o ensejo para pedir que rezem particularmente pela recuperação da saúde de nossos irmãos, José Tiago e Bráulio, que necessitam do Médico Celeste para completar o tratamento de saúde que vêm fazendo.
Que Nossa Senhora das Vitórias, Mãe e Padroeira, nos abençoe.

 

Pe José Roberto Rosa, ocs
                                                                                                              Superior da Congregação