NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS, MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS

A nossa Congregação nasceu com o nome de “Legião dos Oblatos de Jesus Cristo Sacerdote e de Nossa Senhora das Vitórias”, conforme vem no título do esboço das Primeiras Constituições.

Por que “Nossa Senhora das Vitórias”:
1) - o nosso Fundador, Pe. Januário Baleeiro de Jesus e Silva, OCS, vem da Amazônia, onde os portugueses trouxeram a devoção à Mãe de Deus, sob este título. Também no nordeste brasileiro, é muito popular esta devoção. Em Portugal, vem da vitória dos portugueses sobre os castelhanos, na Batalha de Aljubarrota, de 14 de agosto de 1385. Os castelhanos invadiram as terras portuguesas e Dom João I de Avis, auxiliado pelo santo Condestável, Dom Nuno Álvares Pereira, conseguiram libertar Portugal da Espanha em Aljubarrota e Dom João I fez um voto de erguer nas proximidades do local um imponente mosteiro, conhecido como Batalha, constando de duas igrejas, uma consagrada à Santa Cruz e a outra à Nossa Senhora da Vitória;

2) - este título surgiu da vitória das armadas cristãs sobre os sarracenos, que estavam para invadir a Europa, passando pela baía de Lepanto, perto de Chipre. Os cristãos, comandados por Dom João d’Austria (filho natural de Carlos V), em número muito inferior aos turcos, desbarataram as naus sarracenas que desistiram definitivamente de dominar a Europa. O Papa São Pio, que convocara os príncipes católicos para este empenho, exortou a cristandade à oração do Santo Rosário. Segundo as narrativas da época, este santo, enquanto estava rezando, teve a visão da vitória cristã a 7 de outubro de 1571 e, em seguida, proclamou esse dia como “Festa de Nossa Senhora do Rosário, Auxílio dos cristãos”, também invocada como “Nossa Senhora da Vitória”. Como o nosso Fundador foi Salesiano até o fim da filosofia, adotou Nossa Senhora Auxiliadora ou da Vitória como nossa
Padroeira principal;

O nosso Fundador, sendo de origens portuguesas, provavelmente quis tomar este título de raízes luso-brasileiras, mas desejou com ele considerar, não tanto as vitórias nos eventos humanos, mas acima de tudo, as grandes vitórias da Mãe de Deus sobre o demônio, sobre o pecado, sobre o mal, desde a sua Imaculada Conceição. Em seu quarto havia uma pequena imagem de Nossa Senhora da Vitória, miniatura da Imagem venerada em Batalha: a Imaculada Conceição, circundada de raios de luz. Quando a Congregação esteve em São José das Três Ilhas, Diocese de Juiz de Fora, MG, presentearam o nosso Fundador com uma belíssima Imagem da Imaculada Conceição em madeira policromada, de origem portuguesa, que passou a ser venerada em nossa Família Religiosa como Nossa Senhora das Vitórias. De fato, a primeira vitória de Nossa Mãe, foi precisamente a sua Imaculada Conceição.