<Voltar

Nota de Falecimento de Pe. Afonso Magela Machado, OCS

Roseira, 30 de agosto de 2021

A Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote cumpre o doloroso dever de comunicar aos parentes, amigos e conhecidos o falecimento de Pe. Afonso Magela Machado, OCS.

Nascido aos 24 de julho de 1944, no Município de Lagoa Santa, MG, um dos 11 filhos do casal Hermano Henriques Machado e Maria Natividade de Matos, Afonso Magela Machado ingressou na Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote aos 08 de janeiro de 1956, na qual fez sua primeira profissão religiosa aos 02 de fevereiro de 1964. No dia 01 de novembro de 1970, consagrou-se perpetuamente a Deus, e aos 08 de dezembro do mesmo ano, foi ordenado sacerdote, passando a ser contado entre os primeiros Oblatos Padres na Congregação.

Já como sacerdote, prestou assistências a numerosas comunidades paroquiais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e no Distrito Federal. Foi Pároco da Paróquia São João Batista, Queluz, diocese de Lorena; na arquidiocese de Aparecida foi vigário paroquial na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Lagoinha; Sant’Ana em Roseira; São Paulo Apóstolo em Guaratinguetá. Na arquidiocese de São Paulo, foi o único Oblato a assumir a Paróquia da Sagrada Face, em Aricanduva, cuja criação teve por incentivador o apóstolo da Sagrada Face, Frei Anastácio Hackman, OFM. No estado do Rio de Janeiro, foi coadjutor na Paróquia São Sebastião em Piabetá e Sant’Ana, na diocese de Petrópolis.

No dia 23 de julho de 2021, Pe. Afonso sofreu um infarto agudo do miocárdio, sendo levado para o Hospital Regional de Taubaté, SP, onde ficou internado por 12 dias. Após ter recebido alta, já em casa, seu quadro de saúde acabou se agravando por conta de insuficiência respiratória, motivo pelo qual foi encaminhado para a Santa Casa de Aparecida, SP, aos 04 de agosto de 2021, e diagnosticado com Covid-19. A partir de então, Pe. Afonso começou seu “calvário” na luta contra a contaminação pelo novo “corona vírus”, chegando a ser intubado e até desenganado pelos médicos. Após 22 dias angustiantes na UTI, recebeu alta para a enfermaria, porém seu quadro clínico estava ainda bastante comprometido pelas sequelas deixadas pela covid. Depois de 8 dias na enfermaria, já bastante fraco, hoje, dia 30 de agosto de 2021, por volta das 12h40min, entregou seu espírito a Deus, podendo então dizer como São Paulo, “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé”. (2 Tm 4, 7)

Pe. Afonso foi um homem simples, brincalhão, extrovertido, bem-humorado até na doença. (Lembro-me, quando fui visitá-lo na UTI da Santa Casa, quando cheguei ao quarto e chamei-o pelo nome, e ele, ao ouvir minha voz, apertou minha mão, deu-me um sorriso e tentou me dizer algo que não compreendi...) Não podia imaginar que aquele sorriso, aquele aperto de mão, fora uma despedida para sempre. Neste dia de luto, nossa Família Religiosa perdeu um filho, perdeu um sacerdote, perdeu um confrade, perdeu um grande confessor e conselheiro espiritual, mas ganhou mais um intercessor no céu, junto aos demais Oblatos que para lá já partiram, inclusive seu irmão de sangue Ir. Davi Henriques Machado, OCS.

Nossa Congregação agradece a Deus o dom da vida deste nosso confrade que fez parte e continuará presente em nossas memórias. Nesses 65 anos de oblação, Pe. Afonso deixou-nos um exemplo de perseverança em sua vocação oblaciana. Com seu jeito peculiar de ser oblato, no caminho da simplicidade evangélica, vivendo a seu modo o chamado de Deus, hoje certamente poderá cantar louvores a Deus com todos os anjos e santos no céu.
Obrigado, querido Pe. Afonso. Descanse em paz e brilhe para ti a luz perpétua da eterna glória que o Senhor hoje te preparou. Amém.

Por Ir. Miguel Damasceno Figueiredo, OCS.
Secretário