Agosto, Mês de rezarmos pelas vocações

Querido amigo que visita nosso site, com alegria acolhemos o novo mês que se inicia! Ainda que vivamos um período de dor e sofrimento, quando muitas vidas tem sido ceifadas, e o isolamento social tem sido a principal medida de segurança, não devemos perder a esperança por dias melhores, sem logicamente nos esquecermos de rezar pelas vítimas, pelos profissionais da área de frente e, sobretudo pelo avanço na busca pela erradicação deste mal. O novo mês que bate às nossas portas, reavivando nossas esperanças, nos convida de modo muito especial a rezarmos por todas as vocações!

O costume de se dedicar o mês de Agosto à reflexão e oração pelas vocações teve início na década de 70, pelo então bispo de Santo Angelo/RS, Dom Aloísio Lorscheider. A proposta, então a nível diocesano, atingiu posteriormente os estados da região sul e consequentemente todo o Brasil. O tema escolhido para este ano foi: “Amados e chamados por Deus”, extraído da Exortação Apostólica Pós-sinodal Christus Vivit. O documento, lançado em 2019 é fruto do Sínodo realizado em 2018, cuja temática versou sobre juventude, fé e discernimento vocacional.

O versículo bíblico “És precioso a meus olhos... Eu te amo”, extraído do livro do profeta Isaías (43,4) nos ajuda também a adentrarmos na reflexão.

A Igreja organizou as semanas de oração e reflexão do seguinte modo:
a) primeira semana (este ano, de 02 a 08 de agosto), as vocações dos diáconos, presbíteros e bispos (ministérios ordenados);

b) segunda semana (de 09 a 15), a vocação do pai, da mãe e dos filhos (a família). A Pastoral Familiar celebra a Semana Nacional da Família;

c) terceira semana (de 16 a 22), a vocação das pessoas de vida consagrada (aqueles que fazem os votos de Castidade, Pobreza e Obediência). A Semana Nacional da Vida Consagrada, a partir deste ano, é uma novidade no mês vocacional;

d) quarta semana (de 23 a 29), a vocação dos cristãos leigos e leigas e seus diversos serviços na comunidade (ministérios não ordenados);

e) no último domingo, dia 30, celebramos o Dia dos Catequistas, homenageando e valorizando esta vocação tão importante nas comunidades.

Ainda na esteira das celebrações do mês de Agosto, nós Oblatos nos alegramos ao celebrar N.Sra. das Vitórias, nossa padroeira ( e titular da capela mor do Mosteiro da Sagrada Face em Roseira/SP) e São João Batista Maria Vianney, um de nossos patronos. Nossa Senhora das Vitórias, cuja celebração ocorre no dia 15 de agosto, é uma devoção de origem europeia, datada de idos do século XVI. Nosso fundador Pe. Januário Baleeiro tinha tal título mariano por devoção e sempre pediu par si e seus filhos espirituais a vitória da perseverança na vocação oblaciana. Sua bela imagem apresenta o Menino Jesus coroado estando de pé sobre o globo terrestre, tendo ao seu lado a Virgem Maria que parece o apresentar ao mundo.

O padre João Vianney, canonizado em 1925, fora por 30 anos pároco da aldeia de Ars na França, pobre freguesia que contava com aproximadamente 300 habitantes. Seu zelo pastoral e sua simplicidade conquistou não só a pequena população da aldeia como toda a França, que basicamente descobriu Ars por meio dos atendimentos do simples padre. Chegava a passar mais de 15 horas atendendo confissões. Sua popularidade era tanta que uma linha férrea foi construída para que mais pessoas pudessem chegar na localidade (conta-se que no ano de 1835, 80 mil peregrinos passaram por Ars). Sua festa se celebra a 04 de agosto, data de seu nascimento para o céu! Padroeiro de todos os padres tornou-se um de nossos patronos, justamente porque nosso carisma consiste na assistência e na oração pelos padres. Que a Senhora das Vitórias cuide de nós, e que São João Vianney nos inspire na busca pelos sacramentos e por uma vida austera e santa!  

Ao ter contato com esta rica e bela proposta da Igreja, você também é convidado a rogar a Cristo Bom Pastor que envie operários para a messe! Dediquemos neste mês, de um modo todo especial, nossas orações para a perseverança daqueles que deram o seu sim, bem como para que novas vocações surjam no coração de nossa Igreja, possibilitando assim que o Evangelho percorra toda a terra! Ao menos uma Ave Maria seria um belo presente para o florescimento de vocações na Igreja! Contamos com suas orações!

Ir. Leonardo Paulino, OCS