<Voltar

A vocação de São José

Ao olharmos para a pessoa de São José, podemos perceber uma fé profunda, e sua fidelidade a Deus, de modo que sua missão-vocação, como pai putativo de Jesus, Esposo da Virgem Maria e guardião da Sagrada Família, realizou-se plenamente, graças ao seu despojamento à vontade do Criador.

É notável na vida deste santo homem um enorme caminho de humildade, mansidão, castidade, obediência, piedade, caridade e zelo pela joia mais preciosa de sua vida, a pessoa de Jesus, de quem cuidou com tamanho zelo e dedicação, além de ensinar-lhe sua profissão de carpintaria. Com isso se pode perceber que a vocação deste pobre e nobre servo de Deus nada mais foi do que servir, servir a Deus, servir a Jesus e a Virgem Maria; e ainda hoje continua servindo a Igreja, como seu guardião universal.

Assim como Maria teve inúmeras provações em sua missão na terra, com São José também não foi diferente, isto é, desde a maternidade de Maria, o nascimento do Menino Deus no presépio, a Circuncisão, a Apresentação no templo, a fuga para o Egito com Jesus e Maria, bem como seu regresso do Egito e a perda de Jesus no templo. Em todos esses acontecimentos marcantes na história da salvação, São José ali estava cumprindo a sua missão, guardando e protegendo a Sagrada Família de Nazaré, exercendo com êxodo sua sublime vocação.

Quando Maria Santíssima deu seu “Sim” a Deus, e este de tamanha

importância, tamanha importância também teve o sim de São José. Pois Deus, pela boca do anjo, disse a ele para assumi-la como sua esposa, e o instruía sobre a obra de Deus na terra, que se deu por meio do “Sim” da Virgem Maria e que dela nasceria o Salvador do Mundo. A partir daí, percebe-se que, mesmo temeroso, José obedece a voz de Deus, “fé”; e o faz até o fim de sua vida, “fidelidade”. E foi por meio da prática destas duas virtudes que José perseverou na sua vocação.

E neste mês de agosto, em que somos convidados pela Igreja a meditar e a rezar pelas vocações, também neste ano dedicado a São José, aprendamos com ele a bem viver e a perseverar na nossa vocação cristã. E que ele nos leve até Jesus, Verdade e Vida.


Ir. Lucas Soares da Silva, OCS.