Quarto domingo de agosto celebra-se a vocação de todos os leigos!

Neste quarto domingo de agosto celebra-se a vocação de todos os leigos que, entre responsabilidades com a família e um trabalho formal, dedicam suas vidas para os serviços pastorais e missionários. Seja na catequese, liturgia, ministério de música, ações de caridade ou nas diversas pastorais existentes, os leigos são aqueles que têm consciência do chamado de Deus e participam ativamente da Igreja, contribuindo para a caminhada e o crescimento da comunidade. É ser Sal da Terra e Luz no Mundo.

Nós, cristãos leigos recebemos pelo Batismo e pela Crisma, a graça de sermos Igreja e, por isso, a graça de sermos Sal da Terra e Luz no Mundo (Mt 5, 13-14).

Sou casada à 28 anos e 10 meses com Dionisio e temos duas filhas, Vanessa, que serve como Acólita e Larissa. Participo da comunidade São José Operário e Nossa Senhora do Terço em Santos/SP há mais de 20 anos. No começo eu e minha família participávamos apenas das missas aos domingos, mas aos poucos eu e meu esposo fomos convidados a participar com mais frequência. Recebemos o convite da Pastoral da Acolhida, onde já tive a missão de receber os fiéis, sempre com muita caridade, pois muitas pessoas chegam frágeis à Igreja e precisam de um olhar acolhedor, então temos que estar preparados para ser essa Luz.

Algum tempo depois fomos chamados para ser Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão e em seguida para a Liturgia, as quais fazemos parte até hoje.

Nesta época a Paróquia já era administrada pela Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote. Aos poucos fui conhecendo o carisma da Congregação (oferta a Cristo Sacerdote, pelos seus Sacerdotes e Bispos, com espiritualidade substancialmente Cristocêntrica e acentuadamente Marial). Tenho uma crescente admiração com a missão dos Padres e dos Irmãos desta Congregação, especialmente com o cuidado com os padres idosos.

Entre 2012 e 2014 (não sei precisar a época correta) teve início aqui na Paróquia uma formação para pessoas interessadas em ser Oblatas Leigas. Mesmo sem ter feito as promessas com o primeiro grupo, sempre que podia os ajudava nos eventos que aconteciam no Mosteiro e em 2018 fiz minhas promessas, manifestando meu desejo de seguir Cristo mais de perto na vida laical, através das orações e na oblação diária de minha vida.

Ser Oblata Leiga é estar sempre em busca do rosto de Deus nas pessoas, especialmente nos mais idosos e nos mais necessitados de esperança, de caridade e de fé.

Peço a Nossa Senhora das Vitórias, mãe da Igreja, cheia de fé e de graça, consagrada ao Senhor, que acompanhe a todos os leigos e leigas, seus filhos e filhas, em cada dia da vida e que possam surgir mais operários para a messe, pois a messe é grande e poucos os operários.

Que o Senhor da messe nos abençõe.

Claudia Mara de Oliveira Dias, OLCS.