Estimados Oblatos, tendo em vista o último ano deste quadriênio – 2015 a 2018, como de costume, fazemos o “ano capitular”, como um tempo privilegiado de oração, reflexão, estudo e vivência mais amiúde dos valores do discípulo de Jesus Cristo.

Escolhemos esta data, doze de dezembro, festa de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira de nosso Continente Latino Americano, para a abertura oficial de nosso “Ano Capitular”, rumo ao nosso VII Capítulo Geral a ser celebrado de três a sete de dezembro de 2018.

Assim como o Tempo do Advento se faz necessário para uma boa preparação para acolher e celebrar o Senhor que vem nos salvar, o Ano Capitular também tem por finalidade uma boa preparação para acolher o Senhor e suas novas propostas do Reino.

Que este ano nos seja, de fato, um tempo voltado com mais intensidade para a vida de nossa Congregação. Que não seja um ano de articulações de interesses meramente pessoais, distanciando-nos dos objetivos da vida religiosa consagrada e, consequentemente, do que Deus está apontando e pedindo de nossa Família Religiosa nos dias de hoje.

Ano Capitular é um tempo em que, iluminados pelo Espírito Santo, nos possibilitemos a olhar para o interior da Congregação, para suas estruturas e vivências que vêm constituindo a sua identidade, dando graças a Deus pelas coisas boas vivenciadas e pedindo a sua misericórdia pelas falhas cometidas. Mas é também um Ano para que olhemos para as realidades externas, comungando com a Igreja, que se propõe a itinerância, a exemplo de Abraão, ao invés da comodidade,  aspiremos, audaciosamente, o espírito missionário e de serviço. Destacamos a exortação de Pe Baleeiro: “o religioso oblato autêntico se esforça para viver os conselhos evangélicos e demais valores contidos em nossas Constituições, tendo como modelo o Cristo orante e missionário, obediente até a morte e morte de cruz, cooperando com Cristo na salvação dos homens”.

Que o exemplo do Cristo a serviço do Reino, a sua preocupação e dedicação aos empobrecidos, a sua postura diante às injustiças, sejam norteadores de nossos trabalhos capitulares. Que Maria, a Mulher atenta às necessidades da Igreja, seja nosso modelo de percepção às necessidades da Igreja, de modo particular, às carências dos senhores bispos e sacerdotes seculares. Que Ela nos conduza a fazer a vontade de seu Filho, como fez nas Bodas de Caná. Contamos também com a intercessão de nossos santos padroeiros: São José, São Francisco de Sales, São João Maria Vianey, São José Moscate e Santa Teresinha, além dos padroeiros secundários, e ainda a proteção dos Santos Arcanjos!

Escolhemos para secretariar e conduzir os trabalhos deste Ano Capitular o Pe Sebastião César Moreira, auxiliado por Pe Samuel Carvalho e Ir Miguel Damasceno. Pedimos a todos que participem ativamente dos trabalhos que nos serão propostos. Um Capítulo só se torna intenso e de expressão coletiva quando todos os membros da Congregação o abraçam como sua causa.