MISSÃO EM BODOQUENA MS

No início deste ano fui enviado para substituir por alguns dia o Pe. Agentil Eugênio na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro na cidade de Bodoquena, Mato Grosso do Sul. Nossa família religiosa, no ano passado, assumiu os trabalhos de duas paróquias na diocese de Jardim, MG, paróquias com grandes desafios territoriais e missionários.

Na cidade de Miranda prestamos nossos serviços de oblação na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, onde estão os padres José Roberto-ocs e Ervane Benedito-ocs, juntamente com o Ir. Miguel Damasceno-ocs e os Aspirantes que fazem a primeira experiência de Vida Religiosa Oblaciana.

Agradeço ao Pe. Ervane que nos levou para visitar algumas comunidades indígenas no território da Paróquia, trabalho este que ele acompanha mais de perto, um grande desafio, mas com a certeza de um dia fazermos parte da mesa da igualdade, como diz a música: “Uma só será a mesa, Terra-mãe será o altar. O sustento, a natureza, Em milagres, vai nos dar!”.

Na Cidade de Bodoquena, onde fiquei, atuamos na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde trabalham o Pe. Agentil-ocs e o Ir. Gleno-ocs.

Foram dias de vista as comunidades e celebração da Santa Eucaristia, encontro com as pessoas, de longe e de perto. Em algumas comunidades rurais, onde utilizamos uma caminhonete para poder chegar, devido as estradas de terra e buracos, demorávamos de uma hora à uma hora e meia para chegar. Lá encontrávamos as pessoas a “nossa espera”, a espera da partilha do Pão e da Palavra.

Agradeço a cada comunidade que nos acolheu, partilhou conosco as suas experiências, com certeza voltei de lá mais rico, rico em saber que lugares tão distantes, não só fisicamente, mas distantes da possibilidade da participação diária da Eucaristia devido a distância, não perdem a esperança, são animadas, celebram, rezam o terço, novenas, festas típicas da região, e outras celebrações.

Em muitos lugares que conheço, temos a oportunidade de celebrar a Santa Missa todos os dias, às vezes a Igreja fica na porta de nossas casas, e nossa participação é coadjuvante. Que sirva de exemplo para cada um de nós, quando testemunhamos irmãos e irmãs, que mesmo com todas as dificuldades, não se esquecem de Deus, mesmo porque Deus nunca se esquece de nós. Pessoas que vão onde Deus está, mesmo que para isso tem que andar ou dirigir quilômetros.

Agradeço imensamente ao Ir. Gleno de Oliveira-ocs, que celebrou conosco, me acompanhou nas comunidades, dirigindo, cantando e abrindo as porteiras das fazendas, principalmente à noite quando havia o perigo de onças e sucuris. Obrigado irmão pela amizade de companhia. Agradeço também os leigos que nos acompanharam nas comunidades rurais, nas celebrações, e tantos outros momentos que tivemos juntos, desejo a todos e a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ao Pe. Agentil Eugenio-ocs, perseverança no anuncio da Boa Nova do Reino Deus.

Pe. Durvano Ap. Dourado Porto, ocs

Animador Missionário