<Voltar

A OBLAÇÃO DE SÃO JOSÉ.

Quando falamos de “OBLAÇÃO” (1), pensamos logo em Cristo, o Sacerdote do Pai. Ele foi o “Oblato do Pai” por excelência, pois ofereceu (entregou) a Sua vida, oferecendo-se pela nossa salvação (2). Logo em seguida, temos a pessoa dulcíssima de Nossa Mãe, Maria Santíssima, cuja vida foi um perene “SIM” à vontade divina (3) e, neste “SIM”, chegou até à plenitude do Calvário, oferecendo-se com o Seu Filho ao Eterno Pai. Para ficar ao lado da Virgem Imaculada e do Filho de Deus Encarnado, nosso Pai Misericordioso escolheu São José, para uma oblação de toda a sua existência, a serviço do mistério da Encarnação e Redenção da humanidade.

São José não é simplesmente uma figura “adicionada” à vinda de Jesus a este mundo. Com prontidão, acolheu a mensagem que o Anjo do Senhor lhe fez em sonho (4), acolhendo Maria Santíssima em sua casa e dando o Nome ao Seu Filho divino (5) e, com isso, segundo a lei de seu povo, tornando-se o pai legítimo de Nosso Senhor. Assim, Jesus era considerado como “o filho do carpinteiro de Nazaré” (6). São José viveu essa missão, dia após dia, guiando o Deus infinito em sua humanidade que crescia em idade e graça (7), isto, desde a fragilidade de Belém, do Egito, de Nazaré, vivendo, ele mesmo, o “discipulado”

Junto a Jesus, que lhe fez conhecer, em profundidade, o infinito amor misericordioso do Pai. Foi, com humildade, o chefe da Sagrada Família, exercendo esta “autoridade” sobre o próprio Deus humanado e Sua Mãe, a mais santa das criaturas. Esta missão, exerceu- a, até quando lhe faltaram as forças, sendo assistido por Jesus e Maria, quando deixou este mundo.

Em nosso Devocionário “Oremus cum Ecclesia” temos uma breve palavra, com base no pensamento do nosso Fundador, que considerava São José o “primeiro Oblato de Cristo Sacerdote” (8). Que ele nos ajude a viver plenamente  a nossa vocação e  nosso carisma!


NOTAS:
(1)- “OBLAÇÃO”- Devocionário “OREMUS CUM ECCLESIA” pag. 13.
(2)- Sl. 39 e Hb 10, 5-9.
(3)- Cf Lc 1, 38.
(4)- Cf Mt1,20.
Cf. Mt 1,21.
(6)- Mt 13, 55; Cf Jo 6, 42.
(7)- Cf Lc 2,52.
(8)- Cf DEVOCIONÁRIO, pags. 13  e 144.

Pe.Geraldo de Almeida Sampaio,OCS.