:::Graças Alcançadas:::
ARTHUR VERGOLINO  
 

No dia 12 de fevereiro de 2010, sexta feira, véspera de carnaval, fomos acordados com a notícia que nosso filho Arthur estava passando muito mal e caído no hall do elevador, chorando muito de dor.
Soubemos pela auxiliar que o acompanhava que ele acordou com dor e não queria ir ao colégio, mas como o pai era muito exigente, foi assim mesmo. Entrou no elevador com dor na costa e ao chegar ao térreo não conseguia mais andar.
Corremos imediatamente e ao vê-lo caído no chão e gritando de dor, o carregamos para o carro e levamos para a emergência do Hospital da Benemérita Beneficência Portuguesa de Belém, onde demos entrada no serviço de urgência achando que poderia ser uma simples crise de gases ou algo parecido sem nenhuma gravidade.
Lá, ele foi medicado com medicação injetável para dor e colocado na observação para aguardar o resultado e esperar o diagnóstico.
Passadas algumas horas com pouca melhora na dor, percebemos, junto com nosso amigo Bruno Paes Barreto, médico, que seus movimentos estavam ficando paralisados e qdo o Arthur pediu para fazer xixi, não conseguiu ficar nem sentado na cadeira nem fazer o xixi.
Logo avisamos a tia do Arthur, Eliana que imediatamente pegou a Face de Cristo que estava no quarto e do qual a família já é devota há muitos anos e colocou na Sala e começou a rezar pela saúde do Arthur. Inclusive diariamente rezava a oração da Sagrada Face e também da Divina Misericórdia, tirava terços também sem cessar ate que o Arthur ficasse curado.
Neste momento, já por volta das 11 h da manhã, percebemos a real gravidade do que estava acontecendo. O Arthur estava completamente paralítico da região dos mamilos para baixo, ao ponto de não conseguir ficar sentado numa cadeira. Corremos a procura de outros médicos especialistas, enlouquecemos com a especulação sobre diversos diagnósticos como Guillain Barré, esclerose múltipla entre outras.
Providenciamos a internação para a realização de exames mais específicos enquanto aguardávamos a chegada do neurologista de nossa confiança, que só chegou à noite. Quando ele chegou já tínhamos uma ultrassonografia realizada, mas ele pediu diversos exames mais específicos que seriam realizados no dia seguinte.
Dormimos a noite de sexta no Hospital e no dia seguinte transferimos o Arthur para o hospital Porto Dias, por ser mais qualificado e apresentar melhores condições de fazer todos os exames solicitados.
Neste mesmo dia, iniciamos nosso tratamento com ele, banhando-o todos os dias com água de Lourdes, que trouxemos dois anos antes do santuário de Lourdes na França e rezando um terço a Nossa Senhora de Lourdes em prol da recuperação do Arthur. . (chegando ao santuário, resolvi comprar um galão para trazer bastante água para Belém, pois não sabia quando poderia voltar lá e poderíamos um dia precisar).
No sábado, após o Arthur fazer diversas ressonâncias magnéticas, com e sem contraste radiografias, ultrassonografias, e após os exames serem analisados por diversos profissionais da área e por médicos amigos que estavam envolvidos com nossa situação, o Dr. José Claudio, neurologista, nos deu a informação de que o que o Arthur tinha era muito grave. Segundo ele, os exames do Arthur mostravam diversas anomalias na medula, que se estendiam desde a direção da vértebra T2 até a direção da vértebra T7.
O tratamento era cirúrgico e quanto mais rápido iniciasse melhores a possibilidades de recuperação, que àquela altura eram quase inexistentes. Como o primeiro passo seria uma punção na medula, e em Belém não tinha material apropriado para fazê-la, sendo necessário mandar buscar em São Paulo o kit para somente na quarta-feira fazer a punção e iniciar o tratamento, ele nos aconselhou a levar o Arthur para São Paulo, para ser tratado pelo médico Dr. Kushiro, no hospital Santa Cruz, onde ele tinha feito residência médica e ficado muito amigo do grande neurologista.
Não duvidamos, e na madrugada de domingo para segunda feira, fomos para São Paulo às pressas, depois de uma grande operação para viabilizar ambulância e autorização para o Arthur voar com os problemas que estava apresentando, porém antes, no domingo de manhã, fomos à missa em nossa Paróquia da Santíssima Trindade, assistimos a missa com nosso querido pároco padre Ronaldo Menezes, onde a Beth, sua mãe, em sua fé inquebrantável, entregou seu filho a Deus, para que Ele fizesse segundo a Sua vontade, o que achasse melhor para o Arthur.
Em meio a muito apoio de nossa família e dos amigos, apenas pedíamos muita oração para o Arthur, pedindo que Deus encaminhasse o que fosse melhor para nosso filho.
Chegamos na segunda de manhã, eu Beth, Taissa (irmã) e meu sogro José e fomos recebidos no aeroporto por meus irmãos Ivan e Renata, que foram incansáveis conosco, nos dando apoio e no hospital Santa Cruz pelo Dr.Kushiro, que já tinha providenciado, a pedido do Dr. José Claudio, todos os procedimentos para a internação do Arthur.
No mesmo dia à tarde, foi feita a punção na medula, e refeitos todos os exames de ultrassonografia, radiografias, ressonâncias magnéticas, etc...
Para nosso desespero, o laudo anterior foi confirmado. Uma extensa lesão na medula, provavelmente congênita, que se estendia de T2 a T7, sendo necessários pelo menos três cirurgias para que ele tivesse a chance de possivelmente ficar sentado em uma cadeira de rodas.
A primeira era para tentar reduzir o campo cirúrgico que realmente era muito extenso, a segunda era a cirurgia da medula propriamente dita e a terceira uma cirurgia ortopédica na coluna, para recompor a área aberta para a cirurgia anterior.
Na terça feira de carnaval, ficou marcada a primeira cirurgia, seria uma angiografia com embolização para tentar diminuir a extensão da lesão e permitir uma cirurgia posterior em uma área mais reduzida.
A cirurgia seria realizada às 17 h da terça feita, dia 16/2/2014. Então, assim que soubemos o dia e a hora, pedimos, imploramos a todos nossos contatos do facebook, telefonamos para amigos e pedimos para a família, irmãos, conhecidos, enfim para todos que fizessem uma grande corrente de orações pelo Arthur às 17 h, pois seria realizada a angiografia com a embolização.
A mobilização foi tão grande, que várias missas foram rezadas em Belém em intenção do Arthur, pela sua recuperação, sem que nós soubéssemos. As mensagens de solidariedade e orações choveram em nossos celulares através de e-mails, SMS e telefonemas, inclusive de amigos nossos e do Arthur de outras religiões que estavam, cada um a seu modo, na sua fé, orando pela sua recuperação. Num só objetivo, Judeus, Evangélicos, Espíritas, Protestantes e nós católicos, nos ajoelhávamos ao pé de Deus pedindo sua intervenção pelo Arthur.
Sem que soubéssemos, minhas cunhadas e nossas melhores amigas resolveram, às 15 h da terça feira de carnaval, fazer uma oração pelo Arthur. Trouxeram para o quarto dele o quadro da Sagrada face colocaram na cama do Arthur e também nosso Cristo entronizado que fica na sala e fizeram a oração para SAGRADA FACE DE CRISTO, de quem minha cunhada Eliana é devota e já tinha alcançado diversas graças, pedindo sua intercessão pela recuperação do Arthur.
A cirurgia atrasou em razão de uma grande chuva que aconteceu em São Paulo nesse dia e o Medico só chegou ao hospital tarde da noite a ponto de nos perguntarem se queríamos que fizesse logo a angiografia ou se queríamos que fosse feita no dia seguinte, pois o Arthur já estava muito tempo sem se alimentar.
Decidimos por fazer logo (Já tínhamos tido tantos sinais de que a espiritualidade nos cercava só que nosso cansaço e nervosismo não nos permitiam identifica-los) e então, lá pelas 10 da noite, não lembro ao certo, a angiografia começou. Na sala estava o médico responsável pela angiografia, Dr. Kushiro e meu irmão Ivan que é radiologista.
Fiquei eu e Beth na sala de espera, aguardando um resultado, nas mais longas horas de minha vida. Taissa e meu sogro estavam no quarto do Arthur, rezando para Nossa Senhora de Nazaré, nossa padroeira, ali representada por uma pequena imagem benta pelo Papa Bento XVI, que trouxemos quando estivemos lá dois anos antes.
Após um período que parecera século, perto da meia noite, meu irmão Ivan sai meio atordoado da sala onde foi realizado o procedimento, assustado, dizendo: sumiu... Sumiu tudo,... Não tem nada... Não entendemos muito bem, mas sabíamos que um milagre havia acontecido, e ele deixou os outros dois médicos vierem nos explicar o que tinha acontecido.
Em seguida, chegam a nós Dr. Kushiro e o médico que realizou a angiografia, dizendo que não houve necessidade de fazer nenhuma embolização, pois o contraste tinha passado direto por toda a medula e não haveria necessidade de se fazer nenhuma cirurgia e que o tratamento a partir daquele momento seria clínico, a base de uma corticoterapia. Em um determinado momento do exame, o médico responsável pela angiografia perguntou por que tinham chamado ele, se estava tudo bem e não haveria embolização?
Naquele momento eu e Beth nos olhamos, e tivemos a certeza de que um milagre havia acontecido e que Deus havia agido em nossas vidas, em especial na do Arthur.
No dia seguinte, Dr. Kushiro nos pediu todos os exames feitos em Belém para compara-los aos exames feitos em São Paulo. Iam fazer uma junta médica para poder entender o que havia acontecido, pois nos exames existentes era muito clara a necessidade de um procedimento cirúrgico.
Apresentamos todos os exames que tínhamos e nos deparamos que não tínhamos levado para São Paulo a última ressonância magnética feita pelo Arthur no hospital Porto Dias no dia 13/2 (sábado). Então, a Beth ligou para duas amigas nossas, contou o que tinha acontecido com o Arthur e pediu para que as duas fossem no hospital, pegassem o exame e mandassem para São Paulo por um portador.
No caminho do aeroporto, após pegar o exame, resolveram, mesmo sem ter nenhum conhecimento de medicina, ver as imagens da ressonância do Arthur. Foi quando se depararam com a imagem da “Face de Cristo” gravada na imagem do exame. Tiveram uma crise de choro em face da grande emoção em serem testemunhas de um verdadeiro milagre e ligaram para a Beth, aos prantos, dizendo que um milagre havia acontecido. Respondemos que tínhamos certeza disso e sabíamos que Deus estava presente em tudo.
Elas insistiram que um milagre havia acontecido e tinham provas disso, e mandaram por celular uma foto da face de Cristo gravada em uma das imagens da ressonância magnética do Arthur.
Tão nítida e clara que qualquer um que a olhava enxergava no primeiro momento a imagem da face de Cristo, tal qual àquela que ficou gravada no Santo Sudário, semelhante à imagem existente no livro de orações da sagrada face de Cristo que minha cunhada rezou pelo Arthur no quarto dele, há muitos anos na família, vindo de um convento de Roseiras em São Paulo.
Mas os milagres não pararam aí. Iniciado o tratamento clínico com cortisona, ficamos por mais 20 dias com o Arthur internado no hospital Santa Cruz, onde diariamente rezávamos o terço, rezávamos a oração da Sagrada Face de Cristo e passávamos em seu corpo água de Lourdes.
E os resultados foram inacreditáveis: um dia o médico dizia que ele ia mexer o pé e ele mexia a perna, e assim sucessivamente, tirou a sonda, passou a fazer xixi e coco sozinho, até que um dia o médico disse para ele ficar em pé e ele conseguiu ficar e no dia seguinte deu o primeiro passo.
Nessas horas passamos a ter a consciência de quanto Deus é bom para nós. Diariamente agradecíamos cada novo movimento recuperado pelo Arthur e tivemos a consciência de que somos abençoados.
Após o resultado dos exames, o Dr. Kushiro e os demais médicos, clínicos e neurologistas nos informaram que quanto mais rápido o Arthur retomasse os movimentos, maiores as chances de ele retornar a andar.
Ao perguntarmos quais as suas chances, o Dr. Kushiro, um japonês iluminado nos dizia: As chances dele estão no que vcs trouxeram de Belém. Ou seja, nossa fé, nossa certeza de que Deus estava conosco e que nos ajudaria a ver nosso filho andando novamente.
A partir daí, tivemos alta do hospital, conseguimos tratamento de fisioterapia na AACD de imediato, se revelando outro milagre que veio através de anjos colocados em nosso caminho, que abriam as portas para todo o tratamento do Arthur, pois a espera era de no mínimo seis meses.
A cada dia de fisioterapia na AACD, agradecíamos a Deus por tudo que tínhamos, ao ver tantos pais lutando por um pouco de qualidade de vida para seus filhos enquanto nosso filho já estava para sair de vez da cadeira de rodas.
Tivemos a consciência de que somos verdadeiramente abençoados e que Deus nunca nos abandonara.
Em seguida, ficamos por mais três meses em tratamento na AACD, tratamento com urologista, etc... Até que, no quarto mês voltamos para Belém com nosso filho andando. Com pequenas sequelas insignificantes, mas que servem para nos lembrar diariamente que Deus exerceu um milagre em nossas vidas.
Depoimento de : Elizabeth e Alexandre Vergolino.

 
     
     

Edir Corrêa do Nascimento / Pindamonhangaba, SP - 05 de maio de 2013

 

“Meu marido que é mecânico, perdeu uma peça pequena e não encontrava, depois de muito procurar, ele encontrou em nosso quarto e a porta do guarda-roupa estava aberta, onde um guardo o “Livro da História da Congregação dos Oblatos de Cristo Sacerdote”, sobre a vida do Padre Januário Baleeiro. Meu marido, ao deparar com o livro, fez um pedido pela intercessão do Padre Baleeiro, para encontrar a peça perdida, logo após o pedido ele foi atendido.

 
     
     
     

Cyntia Caliman / Linhares- ES - 2012

 

Tentava engravidar a Um ano e oito meses. Deus já havia presenteado a mim e ao meu esposo, com a vinda do nosso tesouro  João Paulo, hoje com quase 7 anos. Às vezes, apesar da minha fé, um vazio invadia minha alma quando meu ciclo menstrual chegava naquele mês. Parecia cada vez mais distante o sonho de ser mãe novamente. Em maio de 2011 fui convidada a fazer uma pregação para o EJC (Encontro de jovens com Cristo) na Paróquia de Guaraná, cidade vizinha a nossa (Linhares-ES). Pediram-me carona para uma serva que iria fazer uma pregação após a minha, a Marilda. Durante esta viagem, senti o Espírito Santo de Deus me tocar e abri meu coração para esta serva de Deus, dizendo a ela a tristeza que sentia de não ser mãe novamente. A Marilda é uma serva da Oração à Sagrada Face e me convidou para participar do Terço da Sagrada Face em sua Comunidade. Comecei a participar deste Terço e após oração de Intercessão individual, Deus nos revelou que era para eu rezar todos os dias o Magnificat (Lc 1,46-55) colocando minha mão no ventre, que por Intercessão de Maria e da Sagrada Face o milagre  da vida aconteceria. Continuei firme na caminhada. Continuamos a interceder individualmente por todos que nos pediam oração após o Terço da Sagrada Face, inclusive por outras mulheres que igualmente a mim também sonham com a maternidade. O Terço da Sagrada Face e o Magnificat foram me curando de todo aquele sentimento de inferioridade e no lugar daquele vazio, o Senhor foi colocando em meu coração alegria e esperança de que tudo era uma questão de tempo – o Tempo de Deus. Dia 12/06/11 foi a última vez que menstruei. Em julho, na mesma data, fiz o teste de gravidez e pela graça de Deus, o resultado foi POSITIVO. Todos ficamos emocionados de ver a majestade de Deus! No primeiro Ultra Som que realizei, o médico me perguntou se havia muito tempo que tentava engravidar pois esta concepção era um MILAGRE já que havia em meu útero um cisto de aproximadamente 5.7 cm que ocupava a sua extensão quase por inteiro. A implantação do Embrião aconteceu! Deus deu Seu jeito!!! Graças a Deus!!!
Continuamos rezando, pois nos preocupava o fato do cisto atrapalhar o desenvolvimento do bebê. Durante as orações do Terço da Sagrada Face o Senhor revelou ao meu coração: fique tranquila- DEUS NÂO FAZ MILAGRE PELA METADE! No segundo Ultra Som, a graça de Deus se confirmou: O cisto tinha sido reabsorvido completamente e o embrião se desenvolvia normalmente. A gestação da Mariana foi assim, com algumas dificuldades porém em abundância da graça de Deus. Mariana nasceu de 34 semanas (7 meses e meio) com 48 cm e com 2280 gramas, no dia 11 de fevereiro de 2012, Dia dedicado a Nossa Senhora de Lourdes , dia de sábado, às 12:00 horas. Estava muito bem, não precisou de UTIM e de nenhuma medicação em especial.
Hoje está prestes a completar seis meses, é uma menina esperta, saudável e feliz. Realmente iluminada como sua madrinha Nossa Senhora. Só tenho que agradecer eternamente a intercessão de N. Senhora e Milagre da Sagrada Face do Senhor na minha vida e da minha família, diante de tão maravilhosa graça. Com imensa estima, Cyntia Caliman, esposa de Eliézio Dalbem, mãe de João Paulo e Mariana Caliman Dalbem  Linhares- ES

 
     
     
     
Cléri Cristina da Silva Parente / Jacareí – SP – 27 de agosto de 2010
 

No dia 15 de agosto minha mãe esteve com vocês (no Mosteiro) e deixou uma foto minha, gostaria de compartilhar com os outros sobre a graça de ter me livrado de um câncer maligno. Há dois anos descobri que tinha um câncer maligno na face esquerda, após dois meses fiz a cirurgia. O câncer saiu totalmente com uma única cirurgia e graças a Deus não precisei de quimioterapia.Agradeço muito, pois daqui 6 meses terei alta médica, tudo isso graças à DEUS e as orações de minha mãe à Sagrada Face.